29.10.04

Trocadilho infame, do tipo do Beto Santos

Banda Celebrare faz show para médicos no Morro da Urca

Banda Cerebelo faz show para neurocirurgiões no Morro da Urca



Aprendiz de Clinton piromaníaco e pedófilo

28.10.04

Piada fácil de humor negro

Partida eletrizante entre São Paulo e São Caetano. Momentos antes do zagueiro Serginho cair no chão, Galvão Bueno dava o seu aval sobre o jogo:

"Haaaaja coração!!!"

E eu não duvido que no domingo que vem, na tosca Mesa Redonda da CNT, o imbecil do Gílson Ricardo faça uma piadinha com o mortinho em campo da Sinaf.

(E o cara tinha que morrer logo quando o Flusão mete 7 a 1 no Juventude? Só pra deixar o massacre tricolor em segundo plano...)

Ei, Papai Smurf, sabe pra onde a gente vai te levar?

Pra ver o Gargamel de Israel!



Arafat tem baixo nível de plaquetas, dizem os médicos

Papai Smurf tá com DENGUE!


26.10.04


Não sei o porquê, mas toda vez que vejo o Roger e a Adriane Galisteu na televisão eu acho que o cara está representando o Fluminense e, naturalmente, a mim.

Daí eu fico prestando atenção no que o cara fala, se vai continuar no Flu ou se vai mudar pra São Paulo, pra ficar mais perto da Galisteu. Daí eu fico notando a coxa e o peitinho dela naquele corpão esguio. Então, eu não sei por qual motivo, eu me imagino comendo a Galisteu...
Os donos mercenários do Jornal do Brasil querem levá-lo para Brasília. Do jeito que a coisa tá, o destino mais apropriado para o cadavérico diário é o Piauí. Acompanhe este agonizante episódio aqui.

22.10.04

VALEU, BAIXINHO!



Quando o Fluminense anunciou em agosto de 2002 a contratação do Romário, fiquei com o pé atrás. Fui conferir ao vivo a sua estréia, no dia 11 de agosto. Eu e mais 70 mil tricolores fomos quase que inebriados ao Maracanã. Lembro bem dos anúncios da Unimed fazendo a irresistível convocação. Dizia aqui no blog o quanto era estranho ver o Baixinho com a camisa tricolor. Mas bastaram dois gols nos 5 a 1 sobre o Cruzeiro, na estréia do Campeonato Brasileiro, pra que eu gritasse pela primeira vez "Romário sinistro!".

Seguiram-se situações bizarras, como a porrada no zagueiro Andrei durante a sova levada pelo São Paulo e o pênalti batido na trave no primeiro Fla-Flu pelo lado bom da força. Aquele era o último campeonato disputado no saudoso sistema de mata-mata - os oito primeiros se cruzavam para decidir o título. No último jogo da primeira fase, o Fluminense precisava vencer a Ponte Preta para se classificar. Final de 1º tempo, 2 x 0 Macaca. A reação veio na etapa final. O Flu empatou e eis que num lance malandro, genial, Romário rouba a bola do zagueiro Marinho e faz o gol da classificação. No dia anterior ao primeiro jogo das quartas, contra o São Caetano, uma bandinha de rock progressivo, se não me engano o The Rush, tentou estragar o gramado do Maraca. Em vão. Quem deu show foi Romário. Marcadíssimo, serviu para Roni e Magno Alves (que saudades!) fazeram 3 a 0. Nunca fui de fazer previsão sobre resultados, mas quando chegava ao Maracanã senti que esse seria o placar do jogo. Semifnal contra o Corinthians, jogo apertado, calor sufocante. Yan lança do meio para Roni, que ajeita de calcanhar para Romário marcar. Quase desmaiei com o bafo quente levantado nas cadeiras. O Flu, com um time horroroso, chegou num improvável quarto lugar.

No ano passado, Romário foi passar um tempo no Catar. Sem fazer gol, embolsou 1,5 milhão de dólares em três meses. O babaca aqui estava na arquibancada, na goleada sobre o Botafogo por 5 a 0, gritando "Fica por favor, Romário é a alegria tricolor!". Quando ele voltou, o Flu começou a descer a ladeira e perigou ser rebaixado. Achava que o Baixinho não resolveria. Mas não. Sua última missão foi livrar o Flu da degola. Cumpriu com gols decisivos, principalmente contra o Coritiba (vitória com ajuda preciosa do Odvan, que estava no Coxa). Pra não sair da rotina, pagou mico ao dar porrada num torcedor que jogou galinhas no gramado das Laranjeiras.

Esse ano, naufragou no Campeonato Carioca ao lado de Edmundo, Roger e Ramon. Passou uma tarde na delegacia por não ter pago pensão, chegou a fazer gol de bicicleta contra o Guarani, mas até eu, romarista convicto, já achava que não rolava mais. Nem a diretoria frouxa aguentou, até um técnico, um ex-jogador do próprio Fluminense que eu nunca tinha ouvido falar, conseguiu peitá-lo. Uma pena ele ter saído assim, mas de qualquer forma, sem título, foi bom pra caralho ter o Romário no time.

Agora entendo porque um colega meu, vascaíno, ia de vez em quando aos jogos do Flu. Uma autêntica "Viúva do Romário". Agora ele deve estar feliz, o Romário vai encerrar a carreira lá. Eu, até segunda ordem, não vou a São Januário...

P.S. - Há umas duas semanas, perambulava pelo shopping Nova América quando dei de cara com uma loja outlet da Adidas. Esbarrei com a camisa 11 da foto acima, o melhor momento do Romário nas Laranjeiras. Ainda não tinha e comprei baratinho, por 20 reais. Relíquia. Ainda restavam duas.

21.10.04


Eu bebo sim!

Hay que a cara encher, mas perder a ternura jamais!
Anticoncepcional será doping a partir de 2005

Piada fácil

Poxa, as mulheres não vão poder tomar pílula nem pro salto com vara?

19.10.04

TV, A MÍDIA MAIS TRASH

* Sensacional o teste de fidelidade do João Kléber de ontem. Pela primeira vez, pelo menos que eu tenha visto, o teste foi entre duas mulheres. Muito melhor do que bitoquinha de novela das 8. O mais hilário foi o marido, dando a maior pinta de boiola.

* Li no jornal que o programa Barros de Alencar está de volta, na Rede TV. Barros é um cantor brega, mais podre que Reginaldo Rossi. Não lembro desse programa, do começo dos anos 80, mas não esqueço uma frase do Arnaldo Antunes, quando os Titãs começavam a carreira: "Íamos no programa do Barros de Alencar e adorávamos ser tratados como lixo".

* O que aconteceria se o Repórter Vesgo - ex-Corvo do programa do Marcos Mion na Band, esbarrasse com o próprio?

* O que é mais apelativo. Um homem armado invadindo o programa da Márcia Goldschit ou a casa a 1 real da Rosinha em Campos, faltando duas semanas pro segundo turno das eleições? O que essa gente não faz pro Pudim não azedar...
Pra que adianta capacete?
COMENTÁRIOS RESGATADOS

Uma correção: esta música do Nico Rezende foi sucesso na voz de ZIZI POSSI. Verônica Sabino cantava uma versão de "Yes, it is", dos Beatles: "Foi um vento que passou/Que te trouxe e te levou..." Em seguida, gravou com Emílio Senta-Em-Algo a versão da canção principal de "O fantasma da ópera", feita por Nélson Motta (sempre ele). Começava assim: "OLha nos meus olhos/Esquece o que passou" e aindacontinha uma heresia: um verso onde Emílio cantava: "Sou teu homem (?)"...
Persegonha

Eu achava que Verônica Sabino cantava aquela música "Perigo é ter você perto dos olhos, mas longe do coração". Realmente, a mulher foi um 0 à esquerda.

Falando em Sabino, não ouvi nenhuma declaração da ex-ministra Zélia Cardoso de Melo, uma paixão, sobre a morte do Fernando. Será que ninguém da imprensa tem o telefone dela em Nova York? Será que ela continua trabalhando como babá? Será que ela confisca a mamadeira dos bebês?

18.10.04

Demorou, mas a Vila Mimosa finalmente virou point dos mudernus.

A Revista do Globo de ontem fez uma matéria sobre uma boate que virou point da galera da Zona Sul, que todas as quintas pinta por lá pra assistir a shows de funk do Mr.Catra.

Pena que as putas não frequentam o Estação Botafogo, o cine Odeon...

COMENTÁRIOS RESGATADOS

Tem certeza disso, Wela ? :-)
rodrigo


Esqueci de especificar que as putas que frequentam estes cinemas não são as da Vila Mimosa, Rodrigo.

15.10.04

Foi só o técnico do Flu, Alexandre Gama, dizer que o Ronaldo Cirarelli superaria Romário na Seleção que...

Acaba a paz no Flu: Romário detona Gama

Ele está falando muita merda, tem que ficar no lugar dele e cuidar do Fluminense. Acho que ele tem que falar em relação ao Fluminense, respeito a opinião dele, mas não ganhou porra nenhuma ainda, então em alguns momentos tem que falar menos e agir mais. Entrou no ônibus agora, não está nem em pé e quer ficar na janela.

É por isso que nessa sexta, na Brazooka trash, vai rolar...


RAP DOS BAD BOYS - Romário e Edmundo




LELELEÔ LELELEÁ
Com bad boys no seu time já pode comemorar

Somos bad boys isso não tem nada a ver
Cante com a gente esse rap que você vai aprender

Esse é o recado dessa dupla bad boy
Eu saí do Jacarezinho
Eu saí lá de Niterói
Romário e Edmundo pede a paz para a nação
Pare com a violência e não arrume confusão

Ah Emundo, sou tetracampeão
Sou Romário bad boy sou artilheiro do Mengão
Sou Edmundo bad boy de Niterói
Fiz a festa lá no Vasco e no Palmeiras sou herói

Jogo bola porque gosto, jogo bola por amor
Meu amigo Edmundo eu vou ser seu professor

Romário meu amigo sou Edmundo Animal
Posso aprender contigo tu é o mestre ideal

Fazer gols é a nossa diversão
E o point preferido quiosque Viajandão
Onde encontro a rapaziada
Tem muito futevôlei e o pagode é da pesada

(é evidente que essa obra prima foi feita quando eles formavam no Flamengo o "pior ataque do mundo, pior ataque do mundo, pára um pouquinho, descansa um pouquinho, Sávio-Romário-Edmundo)

14.10.04

* Fazia tempo que não ouvia o Rock Bola, programa de rádio anárquico-futebolístico da Rádio Cidade. Ontem, o tricolor da mesa Toni Platão, também conhecido como Cássia Eller, vaticinou que o Brasil empataria com a Colômbia em 0 a 0. O motivo: o oba-oba entre os jogadores, que apostavam quantos gols fariam no jogo. Eu nem me preocupei em fazer um prognóstico. Eliminatórias só vale quando é contra a Argentina. Mas quem escala Magrão já entra em campo derrotado.

* Foi uma das raras vezes em que concordei com o Arnaldo Jabor. Kill Bill 2 é bem melhor do que o primeiro. Sem presepadas como pescoços esguichando sangue, nego com as pernas cortadas sobrevivendo. Se o desenho japonês fosse no segundo, daria pra colocar Kill Bill 2 entre os 10 melhores filmes de todos os tempos.

* Amanhã, na canja brega na Matriz, vou fazer uma homenagem ao grande Fernando Sabino tocando o hit de sua filhinha, Verônica: "Perigo é ter você perto dos olhos, mas longe do coração...". PROMOÇÃO! Quem passar na cabine e falar que é leitor do meu blog ganha uma cerveja, por conta do Dj Janot. Encontro marcado?

13.10.04

Vá por sua conta e risco.

BRAZOOKA TRASH/BREGA - 15/10

Nesta sexta, dia 15/10, o DJ JANOT volta a receber o DJ WELLA para uma divertida canja com o melhor (ou pior) da música trash/brega. No resto da noite, muita MPB, sambalanço e rock nacional. Na pista 2, DJ LUCIO K comanda a sua Sambalounge, com raridades 60/70´s.

BRAZOOKA - Hora temática da semana: TRASH/BREGA
Sexta, dia 15/10, a partir das 23h.

CASA DA MATRIZ - Rua Henrique de Novais 107 - Botafogo
(atrás de Furnas, entre as ruas S.J.Batista e Real Grandeza)
Tel: (21) 2266-1014

6.10.04

Vela e Criwella



O último domingo amanheceu chuvoso. Tempo ruim, como a eleição pra prefeito do Rio. Fui designado pelo meu ofício para acompanhar o Bispo Crivella em seu dia eleitoral. Pensei em ir fantasiado de diabo, mas era um risco. Ele poderia gostar. Não lembrava da última vez que havia acordado às 8 da manhã de um domingo. Se eu não nasci pra acordar cedo, imagina num domingo chuvoso.

Às 10 da manhã estava num clube em frente à praia de Copacabana, onde o candidato vota. Lamentei que uma ressaca não avançasse sobre a zona eleitoral. A espera pelo Bispo foi tortuosa. Os coleguinhas se mostravam super preparados. A repórter do SBT me perguntou se o Crivella era senador pela primeira vez e se já havia tentado uma vaga no governo. Vi uma mulher com a marca do candidato costurada no blazer. Pensei que fosse a repórter da Record, mas era assessora dele. Mas a repórter televisiva da Arca Universal estava lá. Constrangida, mas estava.

Uma hora depois, o Bispo e a família chegam andando pela ciclovia, como se tivessem surgido das trevas. Lamentei que naquela hora não estivesse passando uma bicicleta desgovernada. O neto do candidato, um guri louro de dois anos, sensibilizou as repórteres. Um eleitor reclamou que o Bispo havia furado a fila pra votar - explicaram para ele que por lei isso é permitido. Depois de votar, o batalhão de repórteres e cinegrafistas cercou o candidato. Apesar de ter gravado alguns discos, Crivella não fala, sussurra. E como disse o Artur Xexéo, ele não olha pro seu interlocutor, mas talvez pro Espírito Santo. Fui lá eu para trás do candidato pra tentar ouvir alguma coisa. Disseram, inclusive, que eu apareci no Fantásico com cara de bunda. Então, lá vieram as pertinentes perguntas das jornalistas.

"Candidato, confiante na vitória?"
"Sim. E não se surpreendam se eu vencer já no 1º turno".

Na véspera, o Botafogo havia goleado o Fluminense por 4 a 1. Crivella comentou:

"Mesmo com o juiz atrapalhando, o meu Botafogo fez dois gois em cada tempo. Mandou 22!".

Só faltava essa. Ainda tive que aturar o cara sacaneando o meu time. Finalmente um coleguinha pergunta o que eu queria saber.

"O que o senhor achou da decisão do juiz de tirar a Record do ar?"

Crivella acaba de responder outra pergunta. O coleguinha pergunta de novo.

"O que o senhor achou da decisão do juiz?"
"O juiz do jogo?"
"Não, do TRE"

Crivella desconversou e foi deixando o clube. Felizmente, por problemas operacionais, não tive que passar o resto da tarde com o Bispo.

5.10.04

Oportunidade de emprego

Aviso para os jornalistas que não viram o Jornal Nacional de ontem. William Bonner anunciou a morte de Vivian Leigh, d' E o vento levou, em vez de Janet Leigh, de Psicose. O jornalista se retratou, explicando que Vivan foi levada pelo vento faz tempo. E no final do jornal, Bonner fez com o responsável pelo erro o mesmo que Norman Bates fez com Janet, no filme do Alfredo Ritcóc. Vaga aberta no minguado mercado jornaleiro.

1.10.04

Léo Jaime faz show de graça no Rio
RIO - O cantor e compositor Léo Jaime apresenta sucessos da carreira como "As sete vampiras", "A fórmula do amor", "O pobre", "Gatinha manhosa" e "Nada mudou" - hits nos anos 80 - e novas canções na próxima terça-feira, às 19h, no Shopping Nova América, em Del Castilho. A entrada é franca.


Fiquei de falar sobre uma curiosa exposição que já saiu do Centro Cultural Banco do Brasil, Geração 80. Raramente vou numa exposição de artes prásticas, até porque essas porras pouco me dizem. Como o nome sugere, eram obras feitas por artistas da década de 80. Algumas coisas chamavam realmente a atenção, como um fusca de latéx capotado e um cavalo de metal com uma lâmpada cumprida no lugar da cabeça. Fiquei pensando como o sujeito pode pensar em fazer uma porra daquela. Mas só agora, uma semana depois da morte do Escadinha é que me dei conta. As drogas que ele fornecia pra essa galera das artes eram realmente das melhores!

Ontem, em frente ao prédio Avenida Central na Rio Branco, um coroa e uma mulher passavam do lado de uma moto kawasaki, estacionada na calçada.O coroa comentou, com um ar de quem conta história de terror:

- Essa moto é igual à do bicheiro que morreu!

Ele se referia ao Maninho, morto quando saía de moto da academia.

Os dois apressaram o passo, provavelmente temendo que surgisse alguém atirando na moto.