27.12.05

8.12.05

Da série, pautas bizarras que eu não gostaria de cobrir:

Universitários disputam campeonato mundial de aviões de papel
Me causou surpresa a matéria desta semana do Globo Esporte sobre a formatura da molecada que joga futebol no Vasco. É um projeto onde os garotos jogam bola e recebem educação ao mesmo tempo. Sem dúvida uma bela ação. Se eles não emplacarem nos gramados, terão formação suficiente para serem aproveitados nas padarias dos portugas sócios do Vasco.

Pois a matéria teve até entrevista com o Eurico Miranda! Incrível! Parece que a pendenga entre Vasco e as Organizações Globo terminou. Dizem que por trás da briga havia um terreno em Duque de Caxias, ao lado da gráfica do jornal dos Marinho, que o Vasco pretende usar como Centro de Treinamento. Parece que o cachimbo da paz foi fumado...

7.12.05

Na onda da polêmica entre as grifes Daslu e Daspu, um grupo de estilistas gays (desculpem a redundância) vai lançar uma nova marca: a Dascu.

5.12.05

Sobem os créditos do filme do Vinícius de Morais. A platéia começa aos poucos a aplaudir o genial e sensível poeta, que fala como poucos sobre o amor. Vai minha tristeza e diz a ela que sem ela não pode ser, vai meu coração, pede perdão perdão apaixonado.

Mas eis que os créditos são interrompidos abruptamente por uma gravação de Chico Buarque, Toquinho mais uma galera das antigas conversando animadamente sobre Vinícius. Chico acaba contando um segredo: perguntei pro Vinícius se ele queria voltar diferente na próxima reencarnação. Ele respodeu que não, queria voltar como ele era. Mas com um pau um pouco maior. Gargalhadas e os créditos voltam. A platéia, ruborizada, não aplaude mais.


Ontem precisava fugir da realidade futebolística de qualquer maneira. Pessoas usam vários caminhos para escapar, como cinema, drogas, música. Meu escapismo acabou sendo algo próximo da própria realidade, a peça do Marcelo Tas, "Como chegamos aqui? A história do Brasil segundo Ernesto Varela".

Marcelo poderia simplesmente exibir os vídeos do apaixonante repórter Ernesto Varela, a melhor coisa surgida na televisão brasileira antes do Cadeia do Alborghetti. Mas Tas conta um pouco da história do Brasil como pano de fundo para os vídeos de Varela.

De uma sinceridade acachapante as respostas do repórter da Globo Tonico Ferreira durante o comício das Diretas Já em São Paulo. Difícil acreditar que ele manteve o emprego depois dele falar numa boa para o microfone de Varela sobre o passado de comunista e sorrir dizendo que trabalha para a emissora da situação. E também admitir o atraso da cobertura da Globo à campanha das Diretas.

Sensacionais também são as tentativas de conversa com Paulo Maluf. Além da famosa "dizem que o senhor é corrupto. É verdade?", Varela leva um bolo de aniversário ao então candidato à presidência em 1985 e puxa um parabéns pra você diante de um constrangido Maluf.

Há também material fresco, feito este ano pelo já careca Varela em Brasília. O tema na capital federal é sobre os políticos com capacidade notória para se manter no poder. "Você conhece alguém assim?", pergunta na lata para ACM Neto.

O grand finale dos arquivos de Varela é uma entrevista na Copa de 86 com o deputado e vice-presidente da CBF Nabi Abi Chedid, um dos maiores pulhas do futebol brasileiro e que mantém os dois cargos até hoje. Na ocasião, ele proibira os jogadores de falar sobre política (a seleção ainda tinha o politizado Sócrates, ao contrário das bestas de hoje). Tas considera esta a entrevista mais tensa de sua carreira. Confira aqui o motivo.

Na parte interativa, em que responde preguntas da platéia e da internet, Tas se esquiva de uma pergunta sobre o Garotinho - qual marketing ele usa com os cariocas? A peça - ou espetáculo multimídia - tem como um dos patrocinadores o governo do estado. Mas, apesar da esquiva, o casal Garotinho aparece rapidamente no clip final, ao som de "Que país é este?", ao lado da corja política brasileira.

A pergunta mais importante, qual a saída do Brasil?, é dada pelos fisósofos de rua, os taxistas.O próximo final de semana será a despedida de Tas do Rio. Aproveitem. É baratinho - 10 reais. O problema é quando a peça termina e a realidade volta. O futebol, a toalha, a morena...

1.12.05

Com o Dirceu cassado periga o tapa na nuca pedala Robinho dar lugar a bengaladas na cabeça.

Só que, assim como essa tentativa de piada, não tem a menor graça bater com a bengala na cabeça dos outros e gritar bengala Dirceu!
Padre diz que era obrigado por adolescentes a ir para motel no MA

E depois a culpa é dos padres. Poxa vida, desse jeito a igreja católica nunca vai conseguir banir os gays.
Depois que o programa do João Kléber foi suspenso na Rede TV por homofobia, a emissora havia sido obrigada pela justiça a passar programas educativos produzidos por ONG´s de direitos humanos.

E não é que a Rede TV, num raro exemplo de prestação de serviços, fez melhor?